Dr Paulino Souza Neto Vascular Surgery, Endovascular Surgery

Patologias » Outras » Síndrome do Desfiladeiro Torácico

Os membros superiores são estruturas muito complexas e que possuem inúmeros nervos devido à grand sensibilidade das mãos e também à fineza e riqueza de movimentos destas. Os membros também necessitam de vasos sanguíneos para nutrir todos os tecidos.
Para tanto estas estruturas nobres são alojadas em um único feixe, com trajeto anatômico bem definido. Este feixe vasculo-nervoso passa por alguns estreitos anatômicos, sendo o estreito localizado na transição do tronco e pescoço para o membro superior o que mais causa complicações. Esta região é conhecida como Desfiladeiro Torácico.
Tem como limites o músculo Escaleno anterior adiante e o músculo Escaleno posterior atrás, superiormente Clavícula e inferiormente uma costela cervical (anômala) ou a primeira costela torácica.
Quando ocorre sobrecarga de esforço, este pequeno estreito diminui ainda mais, comprimindo seletivamente os nervos, as artérias ou as veias. A compressão de cada uma destas estruturas causa sintoma distinto e por vezes há associação de dois ou três destes.
A compressão mais frequente é a neurológica causando sintomas de formigamentos, perda da força e anestesia nos membros superiores. Alguns acordam à noite com o membro superior paralisado.
A compressão arterial leva à palidez e dor intensa no membro durante o esforço. Também é causa de formação de aneurisma na artéria Subclávia e de rotura arterial, levando a severo sangramento.
A compressão venosa leva a inchaço dos membros superiores e formação de veias colaterais.
Há risco de trombose venosa neste segmento, e sua ocorrência nos pacientes com fístulas arteriovenosas para hemodiálise, é fator que diminui a longevidade das fístulas, devendo ser investigada nos mesmos.
O tratamento inicial é clínico, com Fisioterapia. No caso dos sintomas persistirem por mais de 6 meses, há risco de dano neurológico permanente. Nestes casos o tratamento cirúrgico deve ser indicado, a descompressão da Síndrome do Desfiladeiro Torácico.
Todos os direitos reservados ®